Turnover: o que é e como calcular os impactos para a empresa

Marcos Paulo Barbosa
Turnover: o que é e como calcular os impactos para a empresa

O turnover é um indicador estratégico para as empresas que revela a dinâmica da rotatividade de colaboradores. Esse é um termo popular no setor de Recursos Humanos, relacionado com contratações e desligamentos de colaboradores.

A grande questão é: como o RH pode fazer para reduzir o turnover e tornar o número de demissões, voluntárias e involuntárias, cada vez menor? 

Nenhuma empresa quer passar pelo processo completo de contratação e treinamento para, pouco depois, perder um funcionário e se ver na necessidade de fazer tudo outra vez.

Você vai entender quais são os tipos de turnover, descobrir quais são os principais motivos que causam essa condição e ainda saberá formas de superar o índice.

O que é turnover?

Turnover é uma palavra apropriada da língua inglesa que em tradução literal pode significar “rotatividade” ou “virada”. 

Na gestão empresarial, o turnover é um índice que calcula a rotatividade dos colaboradores. Ou seja, a quantidade de profissionais que deixam uma empresa em determinado período e precisam ser substituídos. 

O termo parece simples, mas uma análise aprofundada mostra que o entra-e-sai de profissionais pode ter consequências bem complexas para o negócio. Por isso, não basta apenas olhar para o número: é preciso contextualizá-lo com as decisões corretas! 

Quais são os tipos de turnover?

Como nem sempre essa é uma situação positiva e nem sempre é negativa, é essencial fazer uma avaliação da situação pela qual o colaborador não faz mais parte da empresa.

Por isso, primeiramente, é preciso identificar qual é o caso do seu negócio. Conheça os tipos de turnover:

Turnover voluntário

Aqui, o próprio colaborador pede o desligamento da empresa. Essa situação costuma acontecer por diversos motivos, como insatisfação com o cargo, o ambiente de trabalho ou remuneração. 

Turnover involuntário

Neste, a empresa é que desliga o colaborador. Dentre os motivos estão o baixo desempenho do profissional, problemas financeiros do negócio, dificuldade de relacionamento com a equipe e descumprimento de contrato de trabalho. 

Então, a empresa decide encerrar o vínculo e precisa pagar as rescisões de contrato de trabalho previstas em lei. 

Turnover funcional

Esse turnover é considerado benéfico para a empresa e acontece quando alguém que já está com baixo rendimento pede para sair do trabalho por conta própria. 

Além de a empresa poupar os custos da demissão, abre-se uma oportunidade para um profissional mais apto para a vaga.

Turnover disfuncional

Por último, este trata-se da perda de um colaborador de alto desempenho. Isso acontece quando a empresa é incapaz de reter um grande talento, o que pode causar um amplo impacto para a construção do capital humano do negócio. 

Com isso, pode haver perda de produtividade ou uma baixa na qualidade de entrega da empresa, atingindo também os clientes.

Identificando qual faz mais sentido para sua empresa e os desligamentos que estão acontecendo, o próximo passo é fazer o cálculo do turnover. Vamos aprender?

Como calcular o índice de rotatividade?

 Relembrando, o índice de rotatividade é o indicador de RH usado para avaliar a relação entre o número de contratações e rescisões em um determinado período.

Calcular o índice de rotatividade é simples. Basta somar o número de colaboradores desligados com as contratações e depois dividir pelo número total de colaboradores da empresa. A fórmula para o cálculo de turnover é:

Índice de Rotatividade
Índice de Rotatividade

Depois de fazer o cálculo, o próximo passo é analisar o que essa porcentagem significa para a empresa, como veremos a seguir. 

Quando o turnover se torna um problema?

A grande questão ao redor do turnover é saber quando a taxa de rotatividade está alta demais e indica uma retenção de talentos deficiente. Mas não é tão simples fazer essa análise, pois o índice “normal” do turnover depende do segmento, atividade, expectativas e estrutura da empresa.

Segundo a avaliação da consultoria Mercer, em seu relatório anual de rotatividade, existem dois lados do turnover: um índice controlado que indica a renovação natural dos talentos da empresa e outro excessivo que gera altos custos de recrutamento, perda de produtividade e abalo do clima organizacional. 

Um alto índice de turnover significa que a empresa está passando por problemas na retenção de talentos, o que é um grande desafio. Se essa for a realidade da sua empresa, é preciso agir rápido para que essa taxa deixe de crescer.

Os principais motivos para a rotatividade de funcionários

Nenhuma empresa está livre de turnover e aqui estão os principais motivos em relação aos pedidos de demissão dos seus colaboradores: 

  • Remuneração baixa: os colaboradores acreditam que recebem menos do que deveriam;
  • Falta de reconhecimento: às vezes não é em dinheiro e sim com formas de mostrar a importância do trabalhador para a empresa;
  • Desmotivação: muitas vezes acontece por uma combinação entre os dois primeiros fatores ou por desgaste nesta relação;
  • Preocupação com o futuro da empresa: quando o negócio não possui uma boa organização e os colaboradores conseguem perceber isso;
  • Baixo equilíbrio entre trabalho e vida pessoal: acontece em situações em que a pessoa trabalha demais e não consegue ter muito tempo para relaxar.

Para evitar esses problemas, é importante realizar um processo de recrutamento e seleção criterioso. Assim, é possível adequar os perfis certos a determinadas vagas.

Afinal, como reduzir o turnover?

Agora que sabemos o que é turnover e quais as consequências que ele pode causar, é fundamental entender de que forma podemos reduzir esse índice.

Tenha em mente que estas são alternativas que podem (e devem!) ser planejadas e moldadas de acordo com a cultura da própria empresa. 

Essa personalização permitirá que a sua empresa alcance resultados mais satisfatórios e passe a contratar e demitir pessoas da maneira adequada. 

As dicas que separamos são: 

  • Aprimore o processo de seleção: um planejamento criterioso com base na cultura organizacional da empresa e a definição clara do perfil profissional ideal para a empresa são elementos essenciais para que o processo de recrutamento tenha sucesso;
  • Crie uma política de benefícios competitiva: para manter seus funcionários motivados e produzindo de maneira adequada, possuir uma política de benefícios competitiva pode ajudar e muito;
  • Estabeleça uma jornada de trabalho flexível: priorize a produtividade e não menospreze o lado físico e emocional do colaborador;
  • Trabalhe continuamente o aspecto motivacional: quanto mais motivado estiver seu funcionário, menor será a chance dele abandonar a empresa;
  • Reconheça os talentos da empresa: esse é um fator positivo para melhorar o ambiente corporativo;
  • Desenvolva um plano de carreira: com ele, os colaboradores ficarão mais focados, pois saberão onde seus esforços podem os levar e têm a garantia de que serão recompensados.

Que tal aplicar na prática tudo o que vimos aqui?

Agora que você entendeu o que é o turnover nas empresas, qual seu impacto e as principais medidas para reduzi-lo, aplique as medidas abordadas e resolva o problema de turnover no seu ambiente de trabalho.

Lembre-se que a redução da taxa de rotatividade, o turnover, é algo que só agrega benefícios para a empresa, sejam eles imediatos ou não, tangíveis ou não. Boa sorte!