Treinamento corporativo: como montar seu planejamento?

Marcos Paulo Barbosa
Treinamento corporativo: como montar seu planejamento?

Investir na capacitação dos colaboradores é fundamental para uma empresa se manter competitiva no mercado. Uma das práticas mais efetivas para atingir esse objetivo é o treinamento corporativo.

Por meio dele, é possível desenvolver habilidades específicas nos funcionários, garantindo que eles estejam preparados para atender aos objetivos estratégicos da organização.

Mais do que apenas oferecer bons salários e um ambiente de trabalho acolhedor, é importante que seus colaboradores tenham recursos e conhecimentos suficientes para que eles consigam realizar suas tarefas com qualidade máxima no menor tempo possível e ainda sejam capazes de sugerir melhorias e alterações nos processos.

Pensar nessa otimização, possibilita um retorno maior para a qualidade e o rendimento do seu produto final.

Para que isso aconteça, é necessário que você incentive o treinamento e o desenvolvimento constante dos colaboradores, utilizando dos mais diversos meios e materiais.

Com a ascensão do EaD, é possível implementar esse projeto de uma maneira fácil e tranquila.

Mas o que é treinamento corporativo?

Vamos resumir para você: o treinamento empresarial é uma prática de educação corporativa que visa desenvolver habilidades específicas dos colaboradores, relacionadas às suas tarefas dentro da corporação e aos objetivos estratégicos dela.

Seu foco é desenvolver o lado profissional do colaborador e fazer com que ele consiga se manter mais empenhado, motivado, e, com isso, ganhe em produtividade e, consequentemente, traga melhorias também à empresa.

Os treinamentos podem ser direcionados a qualquer tipo de colaborador, dos que ocupam cargos mais baixos até os de liderança. Vamos entender melhor?

Os inúmeros benefícios de investir em treinamento corporativo.

Mais do que apenas em um nível operacional, investir em treinamento para os colaboradores é extremamente relevante para sua motivação, engajamento e retenção.

Dentre isso tudo, um bom treinamento pode contribuir para:

  • Melhorar o clima organizacional: investir em treinamentos para seus colaboradores faz com que eles se sintam mais importantes e valorizados dentro da empresa e, dessa forma, fiquem mais motivados com seu trabalho e com a organização em si;
  • Aumentar a produtividade: um colaborador que sabe exatamente como executar seu trabalho e recebe instruções para aprimorá-lo, levará menos tempo para realizá-lo, poderá evitar erros e refações e, consequentemente, produzirá mais;
  • Incentivar a inovação: colaboradores que dominam suas atividades, entendem o contexto atual de seu trabalho e da sua área de atuação e trabalham com o que há de mais novo, terão mais capacidade de analisar os processos criticamente, propor melhorias e trazer inovação para a empresa;
  • Criar colaboradores mais confiantes: um bom treinamento, na medida em que cria um sentimento de pertencimento do colaborador em relação a empresa, também faz com que ele se sinta mais confiante para dar suas opiniões, tomar decisões e propor melhorias para organização;
  • Diminuir a rotatividade de colaboradores: quando o colaborador tem treinamento, realiza suas tarefas com facilidade, consegue pensar em inovação e se sente parte importante da empresa, as chances de que ele queira abandoná-la são muito menores e você evita os prejuízos da rotatividade.

Passo a passo para um treinamento bem estruturado

1. Planejamento

O primeiro passo para montar um bom treinamento corporativo é o planejamento. É preciso fazer um estudo aprofundado sobre os profissionais que receberão o curso, avaliando suas fraquezas, obstáculos diários e o que pode ser feito para desenvolvê-los.

Isso vai ajudar a definir o programa de aulas, seu conteúdo e a melhor abordagem para se comunicar com o público em questão. Tais aspectos são essenciais para tornar o treinamento realmente relevante para os alunos.

2. Definição de objetivos

A partir das necessidades identificadas no planejamento, é preciso definir os objetivos do treinamento. Essas metas devem ser específicas e mensuráveis, com prazos bem demarcados para a sua realização.

Por exemplo, se o objetivo da implementação do treinamento corporativo for aumentar as vendas em determinado departamento, ele deve ser colocado da seguinte forma: “aumentar as vendas do produto X pela equipe Y em 10%”.

É importante que esses objetivos sejam alcançáveis e, ao mesmo tempo, desafiadores.

Se as metas forem impossíveis de cumprir, as equipes podem ficar frustradas e desmotivadas. Por outro lado, uma exigência baixa demais pode estagnar o crescimento dos profissionais e da organização.

Neste momento, equilíbrio é a palavra-chave.

3. Elaboração do treinamento

Com os objetivos traçados, é hora de elaborar o conteúdo do treinamento. Os planos de aula devem abordar temas relevantes e ser organizado de maneira que facilite o aprendizado. O formato do curso vai depender muito do poder de investimento da empresa e do tipo de conhecimento que será construído.

Muitas companhias ainda adotam aulas mais tradicionais, que normalmente são presenciais e expositivas. No entanto, vale a pena investir em quem já entende seus desafios, como uma empresa focada em educação corporativa.

Na educação corporativa, há uma gama de possibilidades quando o assunto é treinamento corporativo, como materiais em vídeo, texto e áudio, que podem ser acessados quando e onde o aluno quiser por meio de uma plataforma virtual.

Há ainda os treinamentos gamificados que utilizam mecânicas típicas de jogos, como níveis de dificuldade e recompensas por desempenho. Tendência no mercado, esse modelo apresenta vantagens como interatividade, imersão no conteúdo e feedbacks em tempo real!

4. Aquisição dos recursos necessários

A última etapa antes de colocar o treinamento em prática é adquirir os recursos necessários para a sua realização.

Indicamos a realização de treinamentos de maneira EaD, afinal, as demandas estruturais são menores e os colaboradores podem acessar quando e onde quiserem.

Contem com universidades corporativas que realizem todos os processos junto aos responsáveis da organização e permitam atividades customizadas, de acordo com as necessidades e objetivos listados acima.

5. Execução do treinamento

A execução do treinamento começa muito antes da primeira aula.

É preciso informar seus colaboradores das decisões em prol do aprendizado dos mesmos, é claro! Use as mídias da empresa, como e-mail, intranet e mural de avisos, para explicar aos funcionários a importância e a relevância do treinamento para suas carreiras.

Quando o dia chegar, basta colocar em prática todo o planejamento traçado previamente. Seja qual for o formato escolhido, respeite os prazos e oriente os tutores a atenderem às solicitações de todos os alunos.

6. Mensuração dos resultados e feedbacks

Aplicar uma prova final é uma boa maneira de verificar o aprendizado do colaborador em um primeiro momento?

Sim!

No entanto, os resultados reais serão vistos na prática. Confira de perto o desempenho da equipe após as aulas e avalie se o treinamento surtiu efeito no dia a dia de trabalho.

Em plataformas gamificadas, esse acompanhamento é feito de maneira contínua ao longo de todo o treinamento, e não apenas no final, como nos modelos tradicionais. Essa vantagem torna ainda mais fácil verificar com precisão se as aulas cumpriram seu objetivo ou não.

Agora que você já sabe como elaborar um treinamento corporativo estruturado, basta colocar em prática as dicas apresentadas neste artigo! Revise o texto quantas vezes forem necessárias, faça um bom planejamento e mãos à obra!