Modelo Kirkpatrick: veja como avaliar melhor seus treinamentos 

Josivan Mesquita da Conceição
Modelo Kirkpatrick

Quando se trata dos treinamentos do seu time de colaboradores, existe um conjunto de fatores que vão desde o planejamento até a implantação. No entanto, muitos gestores esquecem que avaliar estes treinamentos é tão importante quanto conduzir e planejar corretamente. Por isso, o modelo Kirkpatrick foi criado. 

O modelo Kirkpatrick permite avaliar os treinamentos em uma empresa de forma simplificada, considerando fatores como grau de aprendizagem e benefícios para a empresa. Porém, ainda existem muitas dúvidas sobre a aplicação do método e sua eficácia dentro das empresas. 

Por isso, criamos o post a seguir para te ajudar a entender um pouco melhor o que é o modelo Kirkpatrick e como utilizá-lo na prática. Boa leitura! 

Explicando o Modelo Kirkpatrick 

O Modelo Kirkpatrick é chamado assim por conta do seu criador, o estudioso Donald Kirkpatrick, um estadunidense que popularizou o modelo ainda nos anos 50. Por ser pesquisador da área de treinamento e desenvolvimento, Donald trouxe métodos para avaliar treinamentos corporativos, o que resultou na criação do modelo Kirkpatrick. 

Em resumo, o modelo Kirkpatrick avalia treinamentos através de uma metodologia que considera quatro níveis de avaliação: reação, aprendizagem, comportamento e resultados. Assim, cada nível tem sua particularidade e traz uma informação específica sobre o treinamento. 

Como resultado deste processo, o treinador ou gestor responsável consegue verificar diversos pontos envolvidos no treinamento em questão. Além da recepção ao treinamento, o modelo também observa o grau de aprendizagem, a aplicabilidade dos conhecimentos obtidos e os resultados conquistados a partir disso. 

De lá pra cá, o modelo Kikrpatrick ainda é muito utilizado por empresas para verificar se seus treinamentos estão tendo os resultados esperados. Do mesmo modo, o modelo ajuda a entender quais iniciativas necessitam de maior atenção e investimentos do setor responsável. 

No livro “Evaluating Traning Programs” (Avaliando Programas de Treinamentos, em português), Donald explica em detalhes os principais passos para começar a avaliar treinamentos. Dessa forma, gestores foram capazes não só de planejar e implementar, mas também avaliar os principais pontos positivos de seu treinamento. 

Mas como aplicar o modelo Kirkpatrick na realidade dos treinamentos corporativos nas empresas? A seguir, vamos ver como funciona cada um desses níveis e como aplicar o modelo Kirkpatrick na prática. 

Modelo de Kirkpatrick: como aplicar 

A princípio, você pode imaginar que o modelo Kirkpatrick se baseia em uma avaliação feita apenas do ponto de vista dos questionários e de feedback. No entanto, o modelo também conta com a observação e a mensuração de resultados envolvendo os programas de treinamento

Cada nível do modelo Kirkpatrick permite visualizar uma etapa e um resultado diferente no processo de treinamento. Dessa forma, você será capaz de ver com mais clareza como cada aspecto dos seus programas tem tido efetividade. 

Porém, antes de adotar o modelo Kirkpatrick na sua empresa, você precisa entender quais os objetivos da empresa com os treinamentos. Assim, você deve responder algumas questões que envolvem tópicos como: 

  • O que preciso que mude no ambiente corporativo? 
  • Que benefícios mútuos busco para a empresa e colaboradores? 
  • Que habilidades meu time precisa adquirir ou aprimorar? 
  • Quais resultados busco a curto e longo prazo? 

Por isso, para adotar o modelo de Kirkpatrick na sua empresa, você precisa observar os procedimentos que cada um desses níveis exige. Agora, vejamos como funcionam cada um dos níveis de avaliação do modelo de Kirkpatrick. 

Nível 1 – Reação 

Nesta etapa, o responsável pelo treinamento deve avaliar a reação dos participantes a todo o processo de aprendizagem. Portanto, aqui você deve aplicar ferramentas que permitam a você descobrir como os participantes do treinamento reagiram ao processo. 

Então é aqui que você irá medir o grau de satisfação de seus colaboradores com o treinamento e a sua percepção geral do processo. Nesse sentido, é nesta etapa que você deva aplicar formas de colher o feedback, como questionários e entrevistas, por exemplo. 

A diferença entre o modelo Kirkpatrick e outras formas de avaliação é que no caso deste método, a avaliação não fica confinada apenas ao feedback. Sendo assim, existem outras formas de avaliar e observar resultados nos outros níveis. 

Nível 2 – Aprendizagem 

Aqui você deverá observar o grau de aprendizagem dos participantes do treinamento em relação ao conteúdo que foi disponibilizado. Por exemplo, você pode aplicar uma avaliação baseada no conteúdo exposto durante as etapas ou depois do treinamento. 

Dessa forma, você saberá o quanto o treinamento em questão está sendo absorvido e se os participantes realmente estão aprendendo o que foi repassado. Como resultado, você descobrirá quais treinamentos estão tendo seus conteúdos melhor assimilados. 

Para garantir melhores processos de aprendizagem, você pode contar com metodologias complementares, como é o caso da Pirâmide de Aprendizagem. Contar com o trabalho de designers instrucionais também pode ser determinante para o grau de aprendizagem nos seus treinamentos. 

Nível 3 – Comportamento 

Pouco adianta aprender novas skills e assimilar conteúdos se todo o resultado do treinamento não traz resultados práticos ao ambiente de trabalho. Por isso, o nível 3 vai avaliar o comportamento do time alvo dos treinamentos. 

Dentro desta etapa você deverá observar se os participantes do treinamento estão de fato aplicando os novos conhecimentos adquiridos em seu cotidiano na empresa. Porém, é importante ressaltar que você deve começar essa observação algum tempo após o treinamento.  

Em outras palavras, tente não esperar uma mudança de comportamento repentina imediatamente após o treinamento. Juntamente a isso, defina janelas de prazos para avaliar as mudanças que aconteceram no ambiente corporativo. 

Nível 4 – Resultados 

Por último, temos a observação e a avaliação dos resultados obtidos com os treinamentos que você adotou na empresa. Em suma, nesta etapa você deve avaliar se os objetivos que foram definidos no planejamento do treinamento foram alcançados. 

Portanto, aqui você pode definir indicadores e adotar métricas diversas para verificar se o resultado que sua empresa buscava com o treinamento foi atingido. Por isso é importante que antes mesmo de iniciar o treinamento os objetivos estejam muito bem definidos, já que você precisará deles para a avaliação. 

Modelo de Avaliação de Kirkpatrick em quatro níveis.

Em conclusão, a avaliação dos resultados pode ser tão diversa quanto a área de atuação da sua empresa. Seus objetivos podem variar desde aumento da produtividade até o aumento de lucratividade. Acima de tudo, nestes casos, o importante nestes casos é que estes objetivos estejam bem definidos e sejam mensuráveis. 

Mudanças no modelo Kirkpatrick 

Desde a sua chegada nos anos 50 até sua popularidade nos dias atuais, o modelo Kirkpatrick contou diversas contribuições e complementos. Nesse sentido, muitas dos complementos no modelo dos 4 níveis foi feita pelo próprio Donald e principalmente por sua família. 

A maior mudança na forma com que o modelo de Kirkpatrick é visto na atualidade foram a ordem em que se dão os níveis de avaliação. No século passado, acreditou-se por muito tempo que a ordem ideal de avaliação seria do nível 1 ao 4, de forma sequencial. 

No entanto, a urgência do mercado na atualidade também trouxe visões que atualizaram esta visão em torno do modelo. Em outras palavras, a proposta para o modelo de Kirkpatrick na atualidade indica que na verdade a sequência dos níveis é do 4 ao 1

Isso acontece porque na atualidade o planejamento exige que se observe primeiro os resultados que você deseja atingir. Portanto, somente a partir daí você deveria avaliar o comportamento, a aprendizagem e colher feedbacks.  

Então tenha sempre bons resultados em mente ao planejar seus treinamentos, sendo que dessa maneira, o seu foco principal será sempre a qualidade do trabalho. Assim você colhe bons frutos pra sua empresa e tem colaboradores mais felizes e melhor qualificados. 

Pronto! Agora você já sabe tudo sobre o modelo Kirkpatrick e está pronto pra avaliar e otimizar seus treinamentos. E para isso você sempre pode contar com a Plantar para ter soluções em educação corporativa, consultoria educacional e aprendizagem digital. Fale agora com um de nossos especialistas

Até a próxima! 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp