Metodologias Ágeis: conheças seus principais tipos e usos

Josivan Mesquita da Conceição
metodologias ágeis

O desenvolvimento de projetos diversos, independentemente das áreas de atuação, configura um desafio complexo para a maior parte dos profissionais. Isso acontece porque uma série de elementos podem tornar o processo mais burocrático e desalinhado com os objetivos definidos anteriormente. Na atualidade, a agilidade se tornou uma palavra chave na atuação de empresas e profissionais que desejam ganhar tempo ao mesmo tempo que garantem a eficiência de suas ações. Por isso, a adoção das chamadas metodologias ágeis tem ganhado cada vez mais força no mercado atual e em diversas áreas de atuação, o que inclui a gestão de recursos humanos. 

As metodologias garantem processos mais fluidos na criação e implementação de projetos diversos, proporcionando um maior alinhamento entre demandas e produtos destes projetos. Para saber mais sobre as metodologias ágeis e seus principais tipos e usos, acompanhe-nos no conteúdo a seguir! 

Origem das metodologias ágeis 

Mas afinal de contas, o que são metodologias ágeis? Também chamadas de métodos ágeis, as metodologias ágeis são metodologias baseadas em princípios que visam agilizar e facilitar a criação e entrega de projetos diversos. Apesar de algumas destas metodologias terem sido criadas antes do século XXI, foi somente neste novo século que a prática e um termo comum para elas foi popularizado. 

A ideia das metodologias ágeis teve sua origem na área de Tecnologia da Informação, na qual os principais profissionais da área perceberam um conjunto de empecilhos para os métodos que eram adotados. Estes empecilhos consistiam na falta de integração entre as etapas de criação de um projeto, desalinhamento no trabalho dos times de desenvolvedores e a quebra de expectativa de clientes entre o produto que era demandado em relação ao produto que lhes era entregue, entre outros.  

Sabemos que a especificidade da área de tecnologia da informação (e não apenas dela) pode fazer com que haja discrepância entre os projetos e os produtos resultantes deles. Pensando nisso, um grupo de profissionais de destaque da área de tecnologia da informação decidiram reunir-se em 2001 para discutir metodologias alternativas aos modelos pré-estabelecidos no mercado, que eram burocráticos e nem sempre traziam os resultados esperados para os clientes. Foi a partir desta reunião que surgiu o chamado Manifesto Ágil: um conjunto de diretrizes que dava base e princípios às metodologias ágeis para estruturar e otimizar o trabalho de desenvolvedores da área de TI. O que estes desenvolvedores não sabiam é que estas diretrizes seriam usadas para além da área de TI, possibilitando diretrizes a serem usadas em diversas áreas de atuação em situações que necessitassem de metodologias ágeis. 

Princípios e Valores do Manifesto Ágil 

O Manifesto Ágil tinha como base principal 4 valores e 12 princípios, que servem como base para a adoção ou criação de metodologias ágeis. Estes valores e princípios surgem para substituir os métodos pesados de desenvolvimento de projetos, que geravam grande burocracia e desalinhamento de profissionais desenvolvedores. É preciso lembrar que os 17 autores responsáveis pelo Manifesto Ágil já adotavam ou eram criadores de metodologias ágeis diversas e que mais tarde se popularizariam ainda mais. Os 4 valores base do Manifesto Ágil são: 

Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas: ao desenvolver qualquer projeto de software, é preciso lembrar que seu uso e relação se dará com pessoas, então as metodologias ágeis devem priorizar os indivíduos e as interações destes indivíduos como termômetro da sua atuação. 

Software em funcionamento mais do que uma documentação abrangente: sabemos que projetos exigem uma documentação acurada dos processos, mas as metodologias ágeis priorizam o software em funcionamento, pois pouco adianta um grande volume de documentação para um produto não funcional. 

Colaboração com o cliente mais do que negociação de contratos: outro fator importante para um desenvolvimento ágil de um projeto é manter a negociação com o cliente em maior prioridade, já que este foi o motivo pelo qual o cliente ou receptor daquele produto procurou você. 

Responder às mudanças mais do que seguir um plano: ter um planejamento e roteiro no desenvolvimento de projetos é bom, mas ele não deve ser o único fator a definir o ritmo e a direção do projeto. Para que não haja risco de engessamento do trabalho, a capacidade de adaptação e a flexibilidade são fatores essenciais. 

Além destes 4 valores, também existem 12 princípios dentro do Manifesto Ágil e que detalham melhor os valores estabelecidos, sendo eles: 

  1. Satisfação do cliente 
  1. Adaptação a mudanças 
  1. Entregar frequentemente software funcionando 
  1. Trabalho conjunto 
  1. Motivação dos indivíduos 
  1. Comunicação face a face 
  1. Software funcional como medida primária de progresso 
  1. Desenvolvimento sustentável 
  1. Atenção à excelência técnica 
  1. Simplicidade 
  1. Capacidade de auto-organização 
  1. Acompanhamento contínuo da eficácia 

Mas quais os principais tipos de metodologias ágeis e como eles são usados por áreas além da tecnologia da informação? Descobriremos a seguir. 

Exemplos de metodologias ágeis 

Desde a criação do Manifesto Ágil, e até mesmo antes dele, o número de metodologias ágeis e sua adoção por organizações e gestores de diversas áreas tem crescido bastante. Por seu caráter generalista e capacidade de adaptação a diferentes situações, as metodologias ágeis surgem como uma alternativa para a otimizar processos e melhorar a qualidade e ambiente de trabalho em qualquer área de atuação. Mas quais tipos de metodologias ágeis existem? A resposta é: diversas, já que para ser uma metodologia ágil, uma prática precisa apenas seguir os valores descritos no Manifesto. Mas, para responder a esta pergunta mais facilmente, é possível listar alguns dos principais e mais conhecidos. 

SCRUM 

Talvez a mais conhecida das metodologias ágeis, o SCRUM se baseia em uma fragmentação do processo de trabalho de um projeto em períodos curtos de tempo, sempre levando em conta os possíveis impedimentos do projeto, processos pendentes e prioridades da equipe de trabalho. Cada período de tempo de trabalho de um projeto é finalizado com um sprint, cada sprint define as pendências, prioridades e avalia as partes concluídas anteriormente. Nesta metodologia também ocorrem os chamados daily scrums, que são reuniões diárias que visam o progresso dos objetivos definidos no sprint, fazendo com que eventuais problemas sejam resolvidos mais rapidamente, sem a necessidade de esperar o sprint seguinte. Esta metodologia é muito adotada por dividir o fluxo de trabalho e prover formas de acompanhamento do progresso de maneira mais rápida, promovendo uma produtividade maior. 

XP 

O método XP tem seu foco principal voltado para o desenvolvimento de softwares e objetiva resultados voltados para a qualidade do produto, satisfação do cliente e sinergia de trabalho entre a equipe de desenvolvimento. Sigla para a expressão em inglês eXtreme Programming, a metodologia XP segue a mesma linha do Manifesto Ágil e possui como base 4 valores: Comunicação, SimplicidadeFeedback Coragem. A metodologia ágil XP também prioriza uma série de outros fatores que visam melhorar as dinâmicas de trabalho das equipes de desenvolvimento como a simplificação dos projetos, testes e entregas mais frequentes e comunicação constante com os clientes. 

KANBAN 

Outra metodologia ágil de grande flexibilidade e que pode ser usado por diversas organizações é o método KANBAN. A metodologia KANBAN é anterior ao Manifesto Ágil, sendo criada ainda no século passado pela fabricante japonesa Toyota. O KANBAN consiste num maior controle das tarefas a serem executadas pelas equipes através de quadros que definem as tarefas principais e seu status de resolução. Os quadros dividem as tarefas entre tarefas que precisam ser executadas, tarefas que já estão em execução e tarefas que já foram concluídas, o que gera uma visão mais completa do progresso da equipe na execução de um determinado projeto. Na atualidade, é possível ver o método KANBAN ainda é muito utilizado por organizações de todas as áreas e que as novas tecnologias permitem que esses quadros de progresso sejam administrados de maneira 100% online. 

LEAN 

A metodologia proposta pelo Lean é a que muitas empresas da atualidade buscam: conceber bons produtos com uma quantidade limitada de recursos. Por seu caráter minimalista para o atingimento de objetivos específicos, a metodologia Lean é muito utilizada pelas startups nos dias atuais, já que a busca por produtividade evitando o desperdício é uma das bases do método e é atrativo para novas empresas. Alguns dos focos da metodologia Lean são o aprendizado da equipe, a identificação e eliminação de desperdícios nos processos e a fluidez nos fluxos de trabalho através de uma menor complexidade de tarefas. 

Metodologias ágeis exigem aprendizado 

Vimos que as metodologias ágeis garantem melhores fluxos de trabalham e cortam burocracias e empecilhos que muitas vezes atrapalham equipes de trabalho no desenvolvimento de projetos. No entanto, a implantação de novas metodologias também vai exigir um período de adaptação e aprendizado, tanto por parte da organização quanto dos colaboradores envolvidos no processo. Por isso, ao investir em metodologias ágeis, sejam elas quais forem, cabe ao gestor também investir em treinamentos, qualificações e outras formas de adaptar os colaboradores às novas mudanças. Dessa forma, as metodologias ágeis se tornarão fortes aliadas da sua organização e trarão resultados positivos tanto para a empresa quanto para o time de colaboradores. 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp