Employer Branding: saiba como se tornar uma marca empregadora

Josivan Mesquita da Conceição
employer branding

Na atualidade, construir equipes consistentes e motivadas é uma tarefa tão importante quanto administrar uma empresa em si. Fazer com que a visão acerca da empresa seja um elemento motivador para o colaborador a ser recrutado exige uma gama de estratégias que visam a imagem dessa empresa no mercado. Este conjunto de estratégias voltadas para as equipes de trabalho e colaboradores também é conhecida como employer branding. 

Conhecidas como marcas empregadoras, organizações que investem em ações de employer branding possuem equipes motivadas e que as descrevem como bons ambientes para se trabalhar. Se transformar em uma employer brand exige mudanças na cultura para que as ações sejam genuínas e tragam benefícios reais aos candidatos e colaboradores. Veja agora o que define uma marca empregadora e como se tornar uma. 

O que é employer branding? 

Mas o que significa employer branding? Em tradução direta do inglês, uma employer brand é uma “marca empregadora”. Num resumo, o employer branding é o processo de marketing que busca criar uma reputação de “boa empresa para se trabalhar” para a organização. O foco deste processo é criar um atrativo no mercado de talentos, mas possui outros benefícios, como a criação de um diferencial competitivo no mercado. Umas das características do employer branding, por exemplo, é a valorização do capital humano e dos possíveis talentos que podem integrar o time da empresa. 

Assim como outros processos de branding, o employer branding consiste em um conjunto de estratégias que visam a construção de uma marca. A diferença, neste caso, é que estas estratégias tem como foco as pessoas presentes ou que estarão presentes no ambiente de trabalho. O objetivo é a criação de uma ideia de valor que vai além da relação empregatícia comum oferecida aos colaboradores. 

Employee Value Proposition

Diferentemente da ideia de marketing voltado para o consumidor, o employer branding tem como alvo uma visão direcionada para as ações internas da empresa. Portanto, a ideia de proposição de valor é oferecida aos seus times e pessoas, levando em conta o employee value proposition (ou “proposição de valor ao colaborador”, em tradução livre). Dessa forma, a organização consegue construir uma proposta de valor positiva diante dos colaboradores atuais e também para aqueles que ainda irão integrar seus times. 

Por exemplo, quando uma organização decide fazer um processo de onboarding com os seus colaboradores recém contratados, uma imagem acerca daquela empresa já começa a ser criada diante daqueles novos colaboradores. Fazer o acompanhamento do processo de adaptação do novo colaborador também pode fazer parte do plano de employer branding. Por isso, a construção de um plano de employer branding deve levar em consideração todos os colaboradores, até mesmo aqueles que já não fazem mais parte do time da empresa, visto que eles também tem um peso na imagem da organização diante da experiência de trabalho que tiveram. 

Portanto, o processo de employer branding exige ações e esforços realmente voltados para os objetivos e valores da empresa. Uma ação de marca empregadora que vise apenas a criação de uma imagem do ponto de vista externo não será efetiva. Então, para se transformar em uma marca empregadora, é preciso levar em conta uma série de elementos essenciais para o sucesso do modelo. 

Como fazer o employer branding? 

Mas como começar a fazer o employer branding na prática? Conforme vimos anteriormente, para se tornar uma marca empregadora, a organização precisa passar por uma modificação da sua cultura e realizar um alinhamento de valores. Uma organização com cultura forte e valores bem alinhados conseguirá mais facilmente definir os seus objetivos e se tornar uma marca empregadora diante do mercado de talentos. 

Por este motivo, ao criar e definir os objetivos para se tornar uma employer brand diante dos seus colaboradores e futuros colaboradores, considere os seguintes fatores: 

Planeje a partir de uma perspectiva interna 

Por se tratar de algo que trabalha diretamente a cultura organizacional e seu impacto na imagem da organização porta afora, você precisa criar uma estratégia relevante e honesta com os seus objetivos. Primeiramente, é preciso definir o perfil dos seus colaboradores e fazer isso significa entender quais as suas necessidades e motivações no ambiente de trabalho.  

Levando em conta a ideia de proposta de valor, se pergunte como você pode tornar a experiência dentro daquela organização algo que seja atrativo e benéfico tanto para os colaboradores que já estão na sua equipe, quanto para aqueles talentos que ainda consideram sua organização como próximo local de trabalho. 

Assim como conhecer o perfil do cliente é necessário no marketing, por exemplo, o employer branding compartilha do mesmo princípio, mas aos olhos do colaborador. O que um colaborador busca ao procurar uma vaga na minha empresa? Quais as suas maiores dificuldades e facilidades no ambiente de trabalho? O que faz com que um colaborador continue na minha empresa? Estas são apenas algumas das perguntas que uma boa estratégia de employer branding precisa fazer antes de adotar quaisquer ações. 

Esteja nos espaços de recrutamento estrategicamente 

Outro aspecto que pode ajudar sua marca empregadora é estar presente nos espaços onde ela possa mostrar os resultados das suas ações de branding. Isso significa que você deve criar estratégias no ambiente online: redes sociais que visam o recrutamento, como é caso do LinkedIn, serão grandes aliadas do seu planejamento. Exponha seus resultados de onboarding, eventos e outras ações voltadas para os seus colaboradores. Fazer isso criará uma janela de divulgação que facilitará a construção da sua reputação no mercado. 

Ouça seus colaboradores 

Saber criar canais e tirar insights dos feedbacks dos colaboradores é outra etapa essencial ao employer branding. Saber ouvir os seus times fará com que você conheça melhor as suas demandas e assim criar ações que atendam às suas necessidades.  

O modelo de feedback se aplica a todo o ciclo do colaborador dentro da organização, seja na contratação, na rotina de trabalho e até mesmo no desligamento. Este último, por exemplo, é importante e você deve levar em conta já que o desligamento de um colaborador pode se dar por uma série de fatores internos da empresa. 

Segundo um levantamento da Great Place to Work, que classifica as melhores empresas para se trabalhar no âmbito nacional, cerca de 7% dos respondentes escolhem continuar na organização que trabalham por conta da reputação da organização. O levantamento também trouxe outras respostas importantes para o employer branding como flexibilidade de horários (10%) e ambiente de trabalho (16%). 

Por esse motivo, criar uma cadeia de feedback que permita coletar e interpretar essas informações fará com que a sua estratégia de employer branding melhore no futuro. Dessa forma, você não destinará esforços para ações irrelevantes para seus colaboradores sob o pretexto de criar um melhor ambiente na organização. 

Não tenha medo de investir 

Um outro elemento importante para o employer branding são os investimentos feitos em estratégias para a construção da imagem da organização. Um investimento em universidade corporativa, por exemplo, pode trazer retorno dos pontos de vista de aprendizado e qualificação dos colaboradores. Você também pode usar a universidade corporativa como uma ferramenta para alinhamento de valores da organização com os seus colaboradores. 

Tendo em vista os retornos para a organização, as inciativas de employer branding são uma via de duplos benefícios, já que a estratégia ajuda a diminuir a taxa de turnover de colaboradores ao mesmo tempo que atrai os melhores talentos para o time da empresa. 

Employer branding é um processo de longo prazo 

Em conclusão, o employer branding é uma estratégia a longo prazo e que precisa ser ajustada com o passar do tempo. As transformações na cultura da organização, a atração de novos talentos e o resultado das ações não virão da noite para o dia. 

Ao propor o employer branding para seus gestores, lembre-os que, mesmo que hajam esforços imediatos, os resultados virão de maneira mais lenta. No entanto, os resultados do employer branding podem ser altamente positivos para a organização. Uma marca empregadora acaba por recrutar os melhores talentos e, consequentemente, pode ter melhores equipes. Da perspectiva dos recursos humanos, a construção de um ambiente de trabalho voltado para a qualidade de vida e que traga benefícios para os colaboradores caminha lado a lado com organizações que são referências de mercado para colaboradores e clientes. 

Portanto, ao trabalhar o employer branding, tenha em mente que o foco nos colaboradores será seu aspecto-chave na hora do planejamento. Colaboradores são a voz da organização que vai para além dela, obter reputação é algo que não pode ser medido monetariamente, mas pode trazer infinitos benefícios à organização.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp