Comunicação interna: uma importante ferramenta de crescimento interno

Josivan Mesquita da Conceição
Comunicação interna

Um projeto de crescimento de uma determinada organização percorre uma infinidade de aspectos que vão desde os processos adotados às pessoas envolvidas neles. É comum ver fatores externos tomarem a frente em p Elementos como vendas, conversão e fidelização de clientes acabam por ganhar protagonismo total.

O que muitos destes gestores esquecem é que o crescimento de uma organização também considera cultura, dinâmicas de trabalho e time de colaboradores. Por isso, entender o processo de comunicação interna é tão importante tanto para gestores quanto para colaboradores. 

Quando feita de maneira eficaz, ela é capaz de construir um ambiente de colaboração mútua e trazer resultados positivos para a organização. Dessa forma, comunicação interna é capaz de criar pontes de dentro para fora e trazer resultados surpreendentes para as empresas que a administrarem da forma correta.

Mas no que consiste a comunicação interna e quais os seus elementos principais? Descubra agora conosco no conteúdo a seguir para planejar a comunicação interna da sua organização de maneira eficaz e precisa.

O que é comunicação interna? 

O processo envolvendo a comunicação dentro de uma organização configura um andamento complexo e com uma série de ramificações em diferentes áreas. Uma dessas frentes do processo comunicacional das empresas é a chamada comunicação interna, que visa o fluxo de informações e a sua assimilação e impactos no âmbito interno das empresas. 

Um plano de comunicação geralmente considera todos estes fluxos de informação nas empresas e no caso da comunicação interna em específico o foco fica por conta da transparência e credibilidade das mensagens entre colaboradores e organização.  

Esse fluxo comunicacional pode acontecer tanto verticalmente (da gestão para os departamentos) quanto lateralmente (entre um mesmo nível gerencial). A comunicação interna visa uma não só um fluxo de informações adequados dentro da organização como também um alinhamento entre as ações das organizações e aquilo que elas comunicam para seus colaboradores. 

Por esse motivo, não basta construir um plano de comunicação interna que vise a integração entre setores, por exemplo, é preciso que a empresa crie ações e esteja realmente comprometida com a integração, do contrário o plano ficará apenas no papel. 

Comunicação interna, clima e cultura

A comunicação interna anda de mãos dadas com o clima e a cultura organizacional, sendo que todo o processo comunicacional é influenciado por estes aspectos. A cultura e o clima também serão elementos principais a serem usados como termômetro para o alinhamento de valores entre os colaboradores e a organização. 

Vemos aqui que o planejamento da comunicação interna precisa ter um caráter técnico, mas também humano, já são os times de colaboradores que mantem a comunicação, e consequentemente a produtividade, uma constante na sua organização. 

Outro ponto chave da comunicação interna é a transparência entre os setores de gestão e os colaboradores da empresa. É preciso que haja coerência em todos os processos e comunicados que dizem respeito ao cenário atual no qual a empresa se encontra: estão em crise? Em crescimento? Possuem novos objetivos a longo prazo? Esteja atento a estas questões para promover a transparência na empresa.

Comunicação interna vs. Endomarketing 

Tendo em vista o conceito de comunicação interna, muitos profissionais ainda o confundem com a ideia de endomarketing, mas estas estratégias, apesar de em certos momentos serem complementares, possuem dinâmicas e conceitos bem diferentes entre si. 

O foco da comunicação interna é, como o próprio nome diz, a comunicação em si, então ela ficará por conta da adaptação, clareza e adaptação das mensagens e do fluxo comunicacional dentro de uma organização. Mas no caso do endomarketing a filosofia e a atuação são um pouco diferentes. O principal foco do endomarketing é criar colaboradores apaixonados pela empresa em que trabalham (um processo que pode ser visto no employer branding, por exemplo). 

Um exemplo de ação que pode ajudar no processo de endomarketing é a implantação de uma universidade corporativa que permita que os colaboradores se qualifiquem mais e veja a organização em que trabalham como um investimento a longo prazo.

A principal diferença entre as duas vertentes é que, enquanto a comunicação interna visa o fluxo de comunicação e as mensagens, o endomarketing vai focar no conceito geral de conquista proposta pelo marketing clássico, só que neste caso voltado aos colaboradores da empresa. 

Conforme dissemos anteriormente, um processo não exclui o outro, pelo contrário, é possível e até mesmo aconselhável que as vertentes atuem em conjunto para garantir que os colaboradores gostem da empresa em que trabalham e tenha uma dimensão mais forte de tudo o que ela significa e seus principais valores. 

Ferramentas comuns de comunicação interna 

Ao elaborar um plano de comunicação interna adaptado às necessidades da organização onde você trabalha, podem surgir algumas questões sobre quais as ferramentas mais adequadas para tornar o processo mais eficaz.

Primeiramente, é preciso dizer que a construção do perfil dos colaboradores que fazem parte da empresa deve ser feita pelos departamentos de comunicação e RH. A construção deste perfil vai apontar as principais necessidades e anseios dos colaboradores. Ele também vai apontar os principais empecilhos e ruídos que atrapalham a comunicação interna da organização. 

Outro fator importante é que também é preciso criar canais de feedback e ouvidoria para fazer um acompanhamento constante das ações e definir indicadores para cada uma delas. Dessa forma, você pode acompanhar o que está funcionando e o que não está em sua estratégia de comunicação interna. 

As ferramentas utilizadas irão depender das necessidades levantadas através de diagnóstico e feedback dos colaboradores. No entanto, existe uma série de ferramentas que são extremamente comuns e pelas quais é possível conceber ou melhorar os processos de comunicação interna.

Mural interno 

Os murais internos, ou simplesmente jornal mural, são uma das principais formas de comunicar diversas coisas para colaboradores dentro da organização.

Um mural geralmente fica num espaço visível dentro da organização. Por isso, ele é muito usado para divulgar questões como calendários especiais, novas regras do ambiente de trabalho e outras questões relacionadas à gestão. 

Intranet 

As intranets consistem numa internet dedicada aos colaboradores da organização. Dentro dela podem ser acessadas informações importantes para os colaboradores como contracheques, calendários e relatórios especiais.

A adoção de uma intranet também vai depender da familiarização dos colaboradores com a plataforma, o que pode exigir um treinamento dedicado a ela. 

E-mail 

Outra forma de manter os colaboradores atualizados e fazer uma comunicação rápida e dinâmica é o e-mail corporativo. Os e-mails são responsáveis por cortar burocracias diversas e garantem a entrega de mensagens a um grande grupo de colaboradores, o que pode ser um facilitador no caso de comunicados oficiais. 

Veículos internos 

Os veículos internos como jornais, revistas e outros periódicos também servem como ferramentas valiosas de comunicação interna. Através deles é possível compartilhar os valores da organização, reforçar instruções gerais do ambiente de trabalho e comunicar relatórios diversos para os colaboradores. 

Por fim, concluímos que a comunicação interna é essencial para o sucesso das organizações junto com as estratégias de marketing e relações públicas. Por isso, é preciso lembrar que os colaboradores são os embaixadores das organizações e são eles que vestem a camisa da empresa.

Isso faz com que a comunicação interna seja mais do que um elemento que melhora a fluidez do trabalho. Como resultado, ela também se torna um fator estratégico crucial que beneficia tanto a empresa quanto seus colaboradores.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp