Aprenda a calcular e reduzir o absenteísmo na sua empresa

Marcos Paulo Barbosa
absenteísmo

Os atrasos e faltas frequentes dos colaboradores são um grande problema para as empresas, já que isso leva à queda da produtividade, conflitos internos, sobrecarga de trabalho e inúmeros outros problemas. Por isso, é preciso dedicar atenção ao índice de absenteísmo na empresa.

Afinal, a taxa de absenteísmo indica, com mais precisão, a quantidade de ausências e atrasos dos colaboradores de uma empresa.

Essa taxa é um indicador de extrema importância para a empresa, porque ele pode apontar problemas estruturais que não estão sendo identificados por outras métricas.

Por isso, vamos entender melhor como essa prática pode fazer parte do ambiente corporativo, com dicas de como reduzir e realizar o cálculo corretamente.

O que é absenteísmo?

Ao pé da letra, absenteísmo significa se abster de alguma função, ou seja, deixar de realizar uma determinada obrigação. Isso pode acontecer na escola, faculdade e, é claro, no ambiente de trabalho.  

Sendo assim, o absenteísmo no trabalho é o termo utilizado para definir faltas ou atrasos de funcionários, mesmo quando eles são justificados

As principais causas do absenteísmo são as falhas no recrutamento e seleção, desmotivação e acometimentos de saúde, como as doenças do trabalho. 

Um outro exemplo é a contratação de um profissional com perfil pouco alinhado à cultura do negócio gera desencontros, o que pode desencadear em adoecimentos futuros ou situações de ausência por falta de adesão às atividades.

É natural que o funcionário tenha que faltar para resolver problemas pessoais ou mesmo que se atrase por causa de um imprevisto. 

No entanto, se isso está acontecendo com frequência, pode indicar que existem problemas dentro da organização. 

Impactos e consequências na empresa

Quando um colaborador desfalca seu time e a empresa, as consequências são diversas:

  • Tarefas acumuladas;
  • Funcionários sobrecarregados;
  • Suposições de constantes faltas podem gerar um ambiente hostil;
  • Processos mais demorados;
  • Cultura e valores da organização são questionados;
  • Colaboradores desconfortáveis;
  • Queda na produção;
  • Impacto nas finanças da empresa.

Desse modo, medidas educativas não ajudam apenas no controle da taxa de absenteísmo para evitar tais consequências, mas também promovem a cultura da empresa. Assim, eles servem para relembrar cada colaborador do fit cultural com a companhia e para fortalecer a imagem da marca empregadora.

Tipos de absenteísmo

Podemos classificar o absenteísmo para entender melhor! 

Existem faltas motivadas pela empresa e outras pelo próprio funcionário. Além disso, em ambos os casos, as ausências podem ser justificáveis ou não justificáveis. 

Absenteísmo justificado

A legislação trabalhista prevê diversas situações em que um funcionário com carteira assinada pode se ausentar do serviço. Veja algumas delas:

  • Nascimento de filhos;
  • Casamento;
  • Falecimento de cônjuge ou de parentes próximos;
  • Doação de sangue;
  • Realização de provas para ingressar no ensino superior. 

Nesses casos, as faltas são justificadas e nem mesmo são descontadas do trabalho. Também é natural que o colaborador se ausente para ir ao médico ou se atrase vez ou outra por conta de imprevistos. 

Absenteísmo não justificado

A falta injustificada, como o nome indica, acontece sem qualquer autorização ou comunicação à empresa. É quando o colaborador falta e não diz o motivo ou mesmo saí no horário de trabalho sem qualquer justificativa. 

Se o funcionário disser que foi ao médico, mas não apresentar atestado, por exemplo, a empresa também pode considerar o caso como um absenteísmo não justificado. 

Presenteísmo

O presenteísmo é a presença parcial do funcionário no ambiente de trabalho, ou seja, o profissional está presente, mas seu desempenho é muito abaixo do esperado por possíveis problemas pessoais ou de saúde.

Nesses casos, o funcionário tem uma grande queda de produtividade e não consegue desempenhar suas funções de forma satisfatória por diferentes razões.

Esse tipo de ocorrência é uma das mais difíceis de serem detectadas, pois nem sempre há um medidor tão objetivo que consiga identificar essa situação rapidamente.

Mas o que causa o absenteísmo na empresa?

As causas do absenteísmo são diversas, tanto no que concerne à empresa quanto ao funcionário.

O absenteísmo pode surgir por causas exclusivas do trabalhador, sem ter necessariamente uma relação com a empresa. Ele se ausenta de suas funções para realizar um exame médico de rotina, por exemplo.

Em outros momentos, o absenteísmo pode estar diretamente relacionado a problemas provocados pela empresa.

Como calcular o índice de absenteísmo?

O cálculo para saber a taxa de absenteísmo na empresa é muito simples e fica ainda mais descomplicado se dividirmos ele em passos:

  • 1º: multiplique o número de colaboradores pelo número de horas e dias de trabalho;
  • 2º: encontre o número de horas perdidas somando todos os atrasos e faltas;
  • 3º: divida o número de horas perdidas pelo número de horas de trabalho;
  • 4º: multiplique o valor encontrado por 100 para encontrar o percentual. 
  • O resultado será a taxa de absenteísmo! Quer ver um exemplo?

Vamos imaginar uma empresa de 10 funcionários que trabalham 8 horas por dia, durante 22 dias no mês. Seguindo a primeira etapa, (10 x 8 x 22), entendemos que eles trabalham 1760 horas por mês.

Agora, vamos supor que a soma das faltas e atrasos de todos os colaboradores tenha sido de 120 horas. O próximo passo é dividir as horas trabalhadas e perdidas: 120 / 1760 = 0.068. 

Sendo assim, nesse caso, a taxa de absenteísmo é de 6,8% — um número bem preocupante! 

Existe um índice “bom” de absenteísmo para empresas?

De acordo com um estudo da Exame, o setor de serviços tem uma taxa média de absenteísmo de 5%, enquanto no setor varejista esse índice varia entre 7% a 10%.

Não há um consenso em relação a um número ideal e esse índice pode variar de acordo com o segmento e tamanho da empresa.

Então, como saber se o índice de absenteísmo de uma empresa é saudável? Geralmente, um índice de 3 a 4% por mês é considerado normal e acima disso é preciso acompanhar com mais atenção.

Como diminuir o índice de falta no trabalho?

Existem várias medidas que podem ser adotadas pela empresa para reduzir o número de faltas no trabalho, veja as principais:

Faça pesquisas de satisfação

Realizar pesquisas de satisfação regularmente é essencial para saber como os colaboradores se sentem no ambiente de trabalho e o que pode ser feito para melhorar. 

Dessa forma, o funcionário se sente ouvido e respeitado pela empresa, percebe o interesse da administração em aprimorar o clima organizacional, e tende a se comprometer mais com o trabalho. 

Seja transparente no processo de seleção

Em alguns casos, o que a empresa pode fazer para evitar o absenteísmo começa no processo de seleção e recrutamento. Contratar o perfil errado para uma vaga pode causar diversos problemas, inclusive as faltas no trabalho. 

Afinal, o colaborador não vai conseguir se identificar com os objetivos da empresa e nem desempenhar bem a função, se tornando muito mais propenso ao absenteísmo. Esse é mais um ótimo motivo para investir no processo de seleção. 

Tenha uma boa comunicação interna

Ruídos na comunicação interna prejudicam a produtividade, provocam brigas, fofocas, e prejudicam o clima organizacional de modo geral. 

A melhor maneira de evitar isso é investir em uma comunicação interna transparente e objetiva. Os líderes precisam dar feedbacks e também estarem preparados para ouvir os funcionários.  

Valorize o funcionário

Baixa remuneração e ausência de benefícios influenciam negativamente a produtividade dos colaboradores. Para evitar isso, é interessante investir em premiações, feedbacks, criar planos de carreira e outras medidas de valorização. 

É essencial que cada funcionário tenha seu esforço reconhecido e saiba o quanto o seu esforço é relevante para a equipe. 

Ofereça maior qualidade de vida do colaborador

Um funcionário doente, estressado e que vive reclamando pelos cantos não é bom para ninguém. Um olhar mais humano e empático para os colaboradores é algo fundamental para empresas que desejam reduzir o número de faltas. 

Disponibilizar benefícios que realmente façam a diferença, como bons planos de saúde, por exemplo, é uma ótima medida para  melhorar a qualidade de vida dos colaboradores e, consequentemente, reduzir o absenteísmo. 

Por isso, ações que promovam a qualidade de vida, engajamento no trabalho e com o time, boa gestão de pessoas e cultura organizacional saudável são essenciais.

Eles são apenas alguns exemplos de recursos que, quando integrados, podem ajudar a manter um ambiente de trabalho agradável e benéfico para os funcionários.

Agora que você já sabe o que é e como lidar com o absenteísmo, continue acompanhando o Blog da Plantar para mais dicas de como ter um RH estratégico e estruturado!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp